Sítio São Francisco em pauta no Orçamento Participativo

Neste sábado, dia 30, ocorre a plenária do Orçamento Participativo na Escola Estadual Pimentas II, no Conjunto Marcos Freire. Neste encontro serão discutidas questões referentes à região dos Bairros Cidade Tupinambá, Jd. das Olivas, Vila Any,  Sítio São Francisco e muitos outros nas proximidades.

No Sítio São Francisco, em plenárias do Orçamento Participativo realizadas em anos anteriores, a demanda mais votada para o bairro foi a regularização da área. Cabe lembrar que isso não ocorreu apenas uma vez, mas sim, em diversas plenárias seguidas e, como esta área pertence ao Estado, o Município não pode se sobrepor a ele (governo estadual) na questão da regularização fundiária, pois isso seria ilegal. Entretanto, os serviços básicos, como água, luz e asfalto são de competência do município, por isso estes sim PODEM E DEVEM ser reivindicados nas plenárias do O.P.  Por isso, a população do Sítio São Francisco deve canalizar suas reivindicações em propostas de competência municipal.

As demandas a serem apontadas nas plenárias do O.P. devem ser direcionadas de acordo com o poder competente, possibilitando que a população da região seja atendida em outras necessidades ao mesmo tempo em que ocorre o processo de regularização da área, pois este é muito demorado. Com isso, a população não terá que aguardar a regularização da área para serem atendidas em outras necessidades básicas.

Sendo assim, é importante que a população do Sítio São Francisco se organize em torno de demandas que são de competência municipal, como saneamento básico, que compreende o asfalto, água e esgoto. Também é de fundamental importância para a melhoria da qualidade de vida da população a construção de uma UBS contendo o Programa Saúde da Família, pois isso significa saúde preventiva, ou  de mais escolas infantis de período integral, para que as mães possam trabalhar tranqüilas durante o dia, dentre outras propostas que poderiam ser viabilizadas o mais rápido possível pelo poder municipal, sem contar a Rua dos Pinheiros, que precisa de uma ponte urgente.  Mas isso tudo depende de mobilização e informação, ou seja,  mais conhecimento para a população e, considerando que conhecimento é poder, devemos lutar pelo maior acesso e difusão deste tipo de informação. Se considerarmos que nem mesmo os serviços de internet  banda larga funcionam no Sítio São Francisco (principal meio de comunicação na atualidade), podemos observar que esta é outra demanda que poderia ser viabilizada através da implantação de um programa de banda larga para os bairros periféricos da cidade mas que, por sua vez, não aparecem nas solicitações dos moradores de nenhuma das regiões onde ocorreram plenárias.

Portanto, este é o momento dos moradores  da periferia de Guarulhos  se organizarem em torno de suas necessidades, mas sempre considerando o que é possível ser realizado no âmbito municipal, pois o Orçamento Participativo é  um dos  principais instrumento de comunicação entre a população e a Prefeitura.

Leia mais sobre Orçamento Participativo aqui.




Você pode deixar um comentario, or trackback from your own site.

2 respostas to “Sítio São Francisco em pauta no Orçamento Participativo”

  1. […] já foi abordado aqui, a regularização do bairro é uma questão delicada, por envolver também o Governo do Estado, […]

  2. […] dia 29/08, um novo encontro entre as partes para tentar encontrar uma solução para o problema do Sítio São Francisco, bairro constituído em terreno pertencente à CDHU. A Companhia  se comprometeu a contratar […]

Deixe um comentário


Desenvolvido para WordPress | Desenhado por: Douglas Lotto